2

Um amor livre

Eu te desejo um amor que chegue bem pertinho do seu rosto, estenda a mão, diga: “Tem um verdinho no seu dente” e, zupt, arranque o verdinho sem nojo, antes que alguém perceba. Um amor que queira te beijar mesmo com bafo matinal. Ou com bafo de uma tarde toda de churrasco e cerveja, mesmo…

2

Mesa para uma

São Paulo é o único lugar do mundo em que eu entro num restaurante e digo “mesa para uma, por favor”. Bem, não que eu já tenha viajado sozinha para lugares do mundo. E não que eu conheça vários lugares do mundo.  Ah, e restaurante a quilo, na hora do almoço, não vale.  O carioca…

6

Dias de dondoca

Consegui marcar um exame para o dia seguinte. Pode ser às 13h30? Claro, como não? Chego na academia ao meio-dia. No máximo cinco privilegiados usando os aparelhos. Não preciso revezar com ninguém, muito menos falar com ninguém. E nem preciso entrar na fila para usar o transport, porque ele está sempre lá, me esperando placidamente….

3

Morar sozinha

Dois dias de febre alta, muita tosse e lenços de papel espalhados pela casa. Pelo menos tem canja na geladeira. Dois dias de louça acumulada na pia. Deve ser a idade chegando, mas eu odeio deixar pratos sujos na pia. Fico aterrorizada, achando que a cozinha vai ser invadida por ratazanas, baratas voadoras e moscas…

3

Isso não é uma despedida

Ao que vai partir eu desejo calma. Para se jogar num sonho que não tem data para acabar. Para se perder pela cidade que em breve vai poder chamar de lar. Para entender, numa esquina qualquer, dando direções erradas para um turista desavisado, que a espera valeu a pena. Para que o olhar estrangeiro –…

1

O voo

  Quando nasceu era o último de uma fila de três mas nunca perdeu o ânimo de falar de uma vez.   As palavras eram muito do interesse principal pra ele era mais bonito ler tudo até o final   Adotou um dicionário como o livro predileto tirou de letra o abecedário falava tudo correto…

13

Fiquei sem emprego. E agora?

Eu tinha 7 anos e ficava agoniada ao escutar a faixa 8 do CD ‘Quebra-cabeça’, do Gabriel, o Pensador. ‘Essa é a dança do desempregado… Quem ainda não dançou tá na hora de aprender’… Eu nem sabia direito o que era emprego, mas ficava tensa com a possibilidade dos meus pais entrarem nessa dança. ‘A…

1

O hipster do futuro

Imagina só se um dia essa década virar moda como vem acontecendo quando os futuros chegam. Daqui a uns 20, 30 anos, numa realidade Black Mirror um pouco menos distópica, essa nostalgia inerente a todas as gerações vai surgir arrebatadora. É muito provável – quase certo – o surgimento do neo-hipster: o hipster do futuro. Em meio a…

2

Eu sou uma fraude

Era um restaurante não tão fino, mas chiquezinho na Vila Olímpia, em São Paulo. Eu quis tomar um vinhozinho branco para ‘abrir os trabalhos’, porque sou dessas. Eu não entendo nada de vinho. Não me pergunte a diferença entre Cabernet Sauvignon, Carménère, Syrah… Aliás, uma vez uma amiga minha disse que a tal da uva…

1

Os limites do limite

Um cara que eu conheço fez uma transmissão ao vivo do enterro da própria mãe pelo Facebook. Eu sei que não deveria passar essa informação adiante. É bizarro! Mas tenho sido atormentada por essa lembrança em diversos momentos. Eu não assisti ao infame vídeo, embora tenha passado por ele rapidamente na timeline. Ocultei. E fiquei…

© 2009 Cena Seguinte