Sociedade

0

Estoure sua bolha!

As redes sociais nem estão no mundo há tanto tempo, mas aposto que você não conseguiria viver sem elas. Tá, tudo bem… Conseguir até conseguiria, mas nos primeiros dias ia rolar aquele vazio no peito. Admite, querido. Ou querida. Elas fazem parte das nossas vidas, ainda mais se você tem um smartphone ao alcance da…

3

Uma crônica de metrô

Tenho um longo caminho subterrâneo até a Barra da Tijuca. Em outros tempos, essa frase só se encaixaria num contexto de deboche. Mas o metrô até a Barra é uma realidade. Obrigada, Dudu Paes! Os reclamões vão dizer “Ah, mas o Jardim Oceânico é bem no comecinho…”. Mas é 75% de caminho andado, eles terão…

6

É muita exposição

Eu dividia a mesa do bar com mais quatro mulheres. Todas beirando os 60 anos. Em um determinado momento, silêncio. Todas estavam de cabeça baixa, olhando para o celular ou digitando com uma certa morosidade. Coube a mim, a jovem da mesa, repreendê-las. Uma contabilizava os likes de uma foto que havia acabado de postar….

1

Novo golpe na praça

Dizem que tudo começou a dar errado no Brasil quando a seleção tomou o 7 a 1 da Alemanha, na Copa do Mundo, em casa. Eu tenho minhas dúvidas. Acho que o país começou a degringolar quando a – por mim, temida – cordinha de óculos se tornou um acessório fashion e cultuado pelos que…

2

Carinha de gringa

Tô eu parada, esperando para atravessar a rua, cantarolando uma música qualquer, quando percebo que uma mulher de uns 30 anos me olha fixamente. Parei de cantar. Vai que ela tava irritada com o meu cantarolar baixinho… Esse povo é doido e eu não quero confusão para o meu lado. Ela, então, resolve tomar a…

2

Um amor livre

Eu te desejo um amor que chegue bem pertinho do seu rosto, estenda a mão, diga: “Tem um verdinho no seu dente” e, zupt, arranque o verdinho sem nojo, antes que alguém perceba. Um amor que queira te beijar mesmo com bafo matinal. Ou com bafo de uma tarde toda de churrasco e cerveja, mesmo…

2

Mesa para uma

São Paulo é o único lugar do mundo em que eu entro num restaurante e digo “mesa para uma, por favor”. Bem, não que eu já tenha viajado sozinha para lugares do mundo. E não que eu conheça vários lugares do mundo.  Ah, e restaurante a quilo, na hora do almoço, não vale.  O carioca…

6

Dias de dondoca

Consegui marcar um exame para o dia seguinte. Pode ser às 13h30? Claro, como não? Chego na academia ao meio-dia. No máximo cinco privilegiados usando os aparelhos. Não preciso revezar com ninguém, muito menos falar com ninguém. E nem preciso entrar na fila para usar o transport, porque ele está sempre lá, me esperando placidamente….

13

Fiquei sem emprego. E agora?

Eu tinha 7 anos e ficava agoniada ao escutar a faixa 8 do CD ‘Quebra-cabeça’, do Gabriel, o Pensador. ‘Essa é a dança do desempregado… Quem ainda não dançou tá na hora de aprender’… Eu nem sabia direito o que era emprego, mas ficava tensa com a possibilidade dos meus pais entrarem nessa dança. ‘A…

© 2009 Cena Seguinte